Ambiente Gaia | Ir para a página inicial
Selecionar idioma: en br


Nossos Contatos

Salvador
» Fones: (71) 3033-3857
São Paulo
» Fones: (11) 97631-7127
» e-mail: Clique aqui

Brasil compensou nove vezes emissões diretas de carbono da Copa do Mundo

Data: 13/07/2014

País quer ser o primeiro a compensar todos gases do efeito estufa gerados em um Mundial da FIFA


O Brasil compensou mais de nove vezes a quantidade estimada de emissões de carbono geradas diretamente pela realização da Copa do Mundo da FIFA 2014, disse a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira (foto), em entrevista coletiva hoje no Centro Aberto de Mídia João Saldanha (CAM), no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. Segundo ela, o País parte agora em busca de um recorde: ser o primeiro do mundo a compensar 100% das emissões, diretas e indiretas, de gases de efeito estufa emitidos durante o Mundial da FIFA.

Até agora foram neutralizadas 545,5 mil toneladas de carbono equivalente (tCO2eq – unidade de medição de gases que interferem no aquecimento global). Trata-se de um volume significativamente superior às 59,2 mil tCO2eq previstas para obras, energia gasta nos estádios, deslocamento de veículos oficiais e outras atividades ligadas diretamente à organização da Copa. O total de 545.500 créditos de carbono equivale a evitar o desmatamento de 1.124 hectares de Floresta Amazônica, o que representa uma área de 1.124 campos de futebol.

Além de compensar as emissões diretas da Copa, o Brasil buscará mitigar também 100% das emissões totais do evento - estimadas em 1,4 milhão tCO2eq - disse a ministra. As emissões indiretas decorrem principalmente do transporte aéreo internacional para o evento. O Brasil é o primeiro País do mundo a buscar, de forma voluntária,  compensação de tudo que foi emitido por uma Copa do Mundo da FIFA, disse a ministra. As 545,5 mil tCO2eq já neutralizadas correspondem a 39% do total das emissões diretas e indiretas.

O objetivo agora é transmitir a tecnologia para os Jogos Olímpicos de 2016, disse a ministra. “Esperamos agora dialogar com pessoal das Olimpíadas e traduzir esse ganho, também com o intermédio do Ministério do Esporte, para poder certificar tudo ambientalmente”, antecipa a ministra.

Os números são resultado do programa Iniciativa Baixo Carbono na Copa, lançado pelo Ministério do Meio Ambiente para estimular empresas que atuam no Brasil a doar créditos de carbono e, assim, ajudar a compensar as emissões geradas pela realização do Mundial. A ministra disse que 16 empresas aderiram voluntariamente até agora à chamada pública de doação de créditos de carbono, mas salientou que o prazo para entrada de novas entidades continua aberto até 18 de julho.

A adesão não envolve qualquer transação financeira e as companhias que participarem da iniciativa recebem o Selo Baixo Carbono. Ainda nesta área, a ministra destacou ações desenvolvidas pelos estados e cidades-sede voltadas à mitigação das emissões, como a Certificação das Arenas, os Planos de Gestão de Resíduos e Reciclagem, iniciativas de mobilidade urbana, como as ciclovias, e o uso de combustíveis menos poluentes (biodiesel e etanol).

Entre as iniciativas de destaque está o Programa Gol Verde, em Salvador, que instituiu que cada gol da Copa na Arena Fonte Nova equivaleria ao plantio de 1.111 mudas da Mata Atlântica. Com 32 gols feitos na Fonte Nova, mais de 35 mil novas árvores serão plantadas em um parque da capital baiana.

Fonte: http://www.copa2014.gov.br/pt-br/noticia/brasil-compensou-nove-vezes-emissoes-diretas-de-carbono-da-copa-do-mundo